Lote: uma criança mordida por um cão da gendarmaria

Noah, uma criança de três anos de idade, foi mordida por um cachorro no Centro de Polícia da Gendarmaria Gramat, em frente à escola Lacapelle-Marival, no Lot. O incidente ocorreu na terça-feira, 18 de abril.

Noah, seu irmão Yanis e sua mãe ainda estão chocados com o horror que experimentaram na última terça-feira, quando deixaram a escola.

16h30, o sino da escola soou no final da aula. A mãe de Noah, de 3 anos, e Yanis, de 4 anos, vem buscá-los. Eles andam, todos os três, de mãos dadas, na calçada de frente para a escola enquanto caminham por uma barreira atrás da qual estava um cachorro do centro policial da polícia. O cachorro, apesar de preso por um soldado, depois se esgueirou - sem motivo aparente - entre duas barreiras para pular em cima de Noah antes de mordê-lo no estômago e debaixo do braço. É a mãe do garotinho que interveio para soltar o cachorro, não hesitando em colocar as mãos nas mandíbulas do animal.

O menino foi levado ao hospital de Figeac por bombeiros, onde suas feridas superficiais foram tratadas. Os dias do menino não correm perigo, mas ele continua muito chocado com o que aconteceu com ele. Ele deve encontrar um psicólogo nos próximos dias para ajudá-lo a superar seu trauma.

O cão mordedor é um pastor belga Malinois pertencente ao Gramat National Dog Training Center. Até hoje, ainda não explicamos o que levou o cachorro a atacar o garotinho. Nada, segundo a gendarmaria, prefigurava o comportamento agressivo do animal. Uma declaração da gendarmerie afirma que "medidas suspensivas foram tomadas para realizar exames veterinários obrigatórios" sobre o cão e que uma investigação por "lesão resultando em deficiência menos de 3 meses por agressão de um animal doméstico" foi aberta, de acordo com a declaração da gendarmaria.

Os pais de Little Noah considerariam fazer uma queixa contra a gendarmaria.